sexta-feira, 21 de outubro de 2016

"...e de todas as tuas forças." Deuteronômio 6:5



Vi um outro mal que há debaixo da terra, um homem que não tem coragem para enfrentar seus conflitos e pleitear sua causa  face a face, um homem passivo. Há uma grande distância entre ser pacífico e ser passivo. O pacífico SE POSSÍVEL busca a paz,mas o passivo se deixa levar e é dominado pelas circunstâncias, dando com isso legalidade para um espírito maligno tomar o controle da situação, não é pelo gritar que vamos demonstrar nossa equidade, e muitas vezes os demônios tomam os tresloucados em berros e gritos. Se num pleito o servo mesmo que esteja com a razão se demonstra passivo porque aprendeu um conceito errôneo que se não consegue vencer as adversidades, devemos como um rio contornar a situação sendo passivos, esse homem muitas vezes pode estar dando legalidade para um demônio vencê-lo com ameaças, violências e agressões. O inimigo das nossas almas é astuto, ele se usa de uma pessoa tresloucada para humilhar, e roubar a paz daquele homem ou  mulher passiva.
"Pleiteia a tua causa com o teu próximo, e não reveles o segredo a outrem," Provérbios 25:9
Dia desses o Senhor me deu uma visão de noite, e essa visão consistia em um conhecido meu que não tinha coragem de se impor e colocar sua opinião, não enfrentava o pleito com firmeza, não é necessariamente querer falar mais alto, não é pelo muito gritar que se tem razão; mas expor seu posicionamento. Acordei então dessa visão e fiquei orando para entender o que o Espírito Santo queria me instruir. Ele então me dizia que Deus nos ordenou que lá em Gênesis que dominássemos sobre todas as coisas, e que o dominar também se tratava de dominar com o intelecto seu posicionamento, sua opinião; ainda que essa opinião não fosse de todo certa, melhor que seja de acordo com os preceitos do Senhor, mas mesmo que a nossa opinião esteja errada, devemos ter a ombridade e caráter, humildade de reconhecer nossas falhas; mas jamais agirmos de maneira passiva diante das situações de nossa vida, simples ou complexas, jamais devemos ser passivos.
O Senhor nosso Deus nos ordena muitas vezes na Bíblia para sermos fortes e corajosos, jamais na palavra de Deus Ele nos instrui para sermos covardes, e na mesma palavra diz para colocarmos nossa mente cativa em Cristo Jesus, devemos deixar o velho homem e suas convicções, velhos conceitos e nos permitirmos ser renovados em Cristo Jesus.
Necessitamos dizer como Paulo, considerar tudo como escória para alcançarmos a excelência em Cristo Jesus.
Falamos em excelência? Sim, excelência! Ser uma pessoa renovada em excelência, alcançar excelência com uma mente que desde o início criou todas as coisas, a mente de Cristo! Amar a Deus com atitudes, com louvor, com dons, mas acima de tudo amar a Deus com nosso intelecto, com a busca do conhecimento e a excelência de Cristo Jesus nosso salvador.
 "Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo." 1 Coríntios 2:16
Amar a Deus com atitudes de coragem, de enfrentamentos pela justiça, verdade e equidade, senão o inimigo facilmente nos combateria com agressões e opressões de medo, e nos faria retrocedermos.
Buscai essa excelência, buscai o Senhor, buscai, buscai, buscai...
"Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças."  Deuteronômio 6:5
Não temas, seja forte e corajoso, Deus é contigo! Alguns estudiosos dizem que no original do hebraico o seja forte quer dizer: seja perseverante, seja duro, tem mais a ver com dureza.
Sabemos que a dureza muitas vezes é confundida com falta de mansidão, mas também sabemos que isso é mais um conceito errôneo no nosso meio Cristão pela falta de conhecimento do povo de Deus quanto ao caráter de Deus e mente de Cristo. Devemos ser fortes e perseverantes para alcançarmos nossos objetivos, e por ninguém, ou nada voltar atrás, isso se tivermos buscando a mente de Cristo. E duros como a pederneira, que ainda que saia faísca nos atritos, sabermos bem qual objetos pretendemos forjar. Que sejam objetos de ouro e prata, porque se for palha, ao passar no fogo, não permanecerá!

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

"...mas para a alma aflita todo amargo é doce." Provérbios 27:7



Assim como o povo de Israel quando saiu do Egito,hoje sabemos que muitos vivenciam a síndrome de Estocolmo.
O povo começou a murmurar, a desejar voltar á situação de cativeiro, ao invés da possível LIBERTAÇÃO.
Libertação essa que ia representar certo esforço, confiança, mas iria resultar em liberdade e queda do opressor.
A síndrome de Estocolmo a princípio se desencadeia como defesa, com o objetivo da vítima proteger sua integridade física e ou psicológica, é uma reação ao medo, pânico, fobia.O oprimido cria laços afetivos ao opressor na ilusão de que isso lhe salvaria a vida. 
Quantos de nós já não passamos por esse tipo de situação? Cativos de pessoas violentas, com transtornos de humor, patrões duros e agressivos com as palavras? Dependentes químicos e alcóolicos?
O povo de Israel andou pelo deserto por quarenta anos porque Deus os havia tirado do Egito, mas o Egito ainda estava correndo nas veias do povo. O povo havia se acostumado ao sofrimento, a escravidão e a humilhação, Deus queria libertá-los, porém o sofrimento se transformou em sua zona de conforto; era o que eles conheciam, era o que eles estavam acostumados.
  
"A alma farta pisa o favo de mel, mas para a alma aflita todo amargo é doce." Provérbios 27:7

Deus ainda quer nos libertar dos nossos opressores, medos e tudo aquilo que tira o momento de glória de sermos livres. Cativos no Senhor, porém livres da maldade!
Muitas vezes essa forma de cativeiro se inicia de forma imperceptível, como um companheiro de um dependente químico se torna um co-dependente; muitos são os exemplos de situações de cativeiro e opressões, precisamos nos ater se não estamos numa situação parecida como essas, precisamos refletir, orar, e confiar num Deus que é o Todo-Poderoso que faz infinitamente mais do que pedimos ou pensamos! E assim diz o Espírito:

"... Filho do homem, põe-te em pé, e falarei contigo."  Ezequiel 2:1

terça-feira, 30 de agosto de 2016

YAVOO



O Senhor a cada dia nos surpreende, nos renova e nos fortalece como a mocidade da águia, quando nós pensamos que as experiências de hoje não são tão grandiosas como as de uns anos atrás, Ele vem e nos revela de maneira grandiosa, mas sempre se revela como um Pai amoroso!
A experiência que vou contar hoje, tem o seu tempo determinado, porque por volta do ano 2003/2004 fui despertada na madrugada com uma experiência tremenda, eu ouvi o toque do shophar (para quem não sabe: shophar é chifre de carneiro usado como trombeta); os meus ouvidos ouviam um toque profundo, real, mas um toque que pelo que sei ouvidos jamais ouviram, era um toque misterioso. No meu espírito o Senhor imprimiu o entendimento que aquele toque era o toque das sete trombetas referidas em Apocalipse, e meus ouvidos ouviam também uma palavra em hebraico " Yavoo" que na pronúncia eu ouvia " yavúuu" , que é lógico não conhecia, jamais tinha ouvido falar, mas foi imprimido no meu espírito que era em hebraico, o idioma que o Espírito Santo usou para falar com o homem. Eu por entendimento dado pelo Espírito Santo descobri que o Hebraico é uma língua em que uma palavra, uma simples palavra pode significar muitas coisas, pode com uma simples palavra sair dali uma orientação, uma direção, ou um consolo, uma palavra no hebraico pode ter um significado profundo que vem tentar expressar o coração do Criador e seu amor pela humanidade! Nesse período ouvia algumas palavras nesse idioma, uma delas foi Shema, pesquisei sobre a palavra e não conhecia exatamente o que queria dizer, nesse tempo frequentava de vez em quando uma sinagoga messiânica perto de onde eu vivia exatamente porque estava tendo essas experiências espantosas, e um dia para minha surpresa lendo um jornal da sinagoga vi aquela palavra escrita no jornal e o rabino explicava o que aquela única palavra significava, imagina o meu espanto? 
Com a leitura entendi que Shema era como se fosse um chamado que estava no livro de Deuteronômio 6, precisamente esse chamado:
" Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças. E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração. E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te. Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por frontais entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas." Deuteronômio 6:4-9
Tal ciência é grandiosa demais para mim que não posso alcançar, algo lindo, espantoso demais, esses momentos nos fazem compreender o significado dessas palavras do rei Davi. 
Não muito diferente desse mistério esses dias atrás conversando com um irmão em Cristo relatava essas experiências com o hebraico, me lembrando dessa época, por um breve momento esqueci a palavra, mas o irmão disse: - Deixa um tempo porque quando você menos esperar a palavra vem, e eu respondi:
- Sim, o Espírito Santo vai me trazer a memória.
Então no dia seguinte, a palavra veio á minha mente novamente:
- Yavoo
Me lembrei também que naquela época procurei alguém na sinagoga que pudesse me ajudar no entendimento dessa palavra " Yavoo", mas a pessoa que me atendeu falou que era muito provável ser mesmo uma experiência com o Espírito Santo, que era provável ser uma palavra em Hebraico e que poderia ter um significado da vinda de Jesus, pois o prefixo YA tinha mesmo a ver com o nome de Deus. E que o fato da experiência ter toques de trombetas que poderia mesmo ser algo sobre a segunda vinda de Jesus. Eu fiquei satisfeita pela explicação dessa pessoa que me orientou sobre a tradução, mas para falar a verdade eu não descobri o significado com certeza e nem se a palavra existia. 
Mas como esses dias me lembrei dessa experiência, ao acordar essa manhã fiquei meditando sobre isso, e de repente veio em minha mente que hoje existem apps que traduzem os idiomas através do que falamos ao microfone dos nossos telefones móveis, mais que depressa me levantei, peguei meu telefone, baixei o app, escolhi o idioma Hebraico e falei a palavra no microfone, e para meu espanto o tradutor escreveu o significado:
"Venha" 
Eu fiquei maravilhada mais uma vez com o Senhor, fiquei surpreendida, e feliz!
E entendi que há quase dez anos atrás Ele tinha um tempo determinado para me dar a confirmação, e também para me dar o verdadeiro sentido de tudo isso! Ele desde esse tempo já me falava sobre o mistério da Adoração Profética que clama a vinda do Senhor! 
A noiva clama: Vem ou melhor traduzindo o significado: Venha! Mas entendi também nessa experiência de hoje que o Espírito também anseia em encontrar com sua amada! O Espírito e a noiva diz...
Quem tem ouvidos ouça... 
Eu posso dizer que aqueles que são íntimos, que amam o noivo, anseiam, através dos anos clamam, e são sedentos pela vinda, pelo gesto e pelo " o encontrar" com o Espírito Santo de Deus!
"E o Espírito e a noiva dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida." Apocalipse 22:17
Yavoo!!!

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

"...mais raro do que o ouro fino de Ofir." Isaías 13:12b



O dia a dia pela fé, nos faz ver o milagre a cada amanhecer, como o nascer do sol assim se renovam nossas forças no Senhor.
A cada fornalha ardente, um forjar de um caráter firme em Cristo Jesus; quando a Bíblia diz: Faça o seu rosto resplandecer sobre nós, não é para qualquer um, não é para fracos, mas para aqueles que se dispõem a andar mais uma milha, se dispõem a cingir os lombos com força, carregar sua cruz e seguir em frente.
E o que seria de nós se ao levantar o Seu rosto sobre nós, o Senhor visse nosso rosto manchado pela covardia? Enrubescido pela vergonha de contemplar alguém que é tudo, alguém que é o criador de todas as coisas?
Quando Deus chama um homem ou uma mulher para Sua presença, Ele forja o caráter de adorador, e o caráter de adorador tem em si forjado as quatro faces dos querubins.
A face do touro, ou novilho, Deus chama o homem e diz: Põe-te de pé, e eu falarei contigo! Mas quem poderá resistir á Sua intensa presença? Ou Seu intenso peso? Lugares profundos poucos se arriscam, assim é a presença do Todo-poderoso, poucos suportam! Seria como olhar para o sol a olho nu, aliás nu estamos todos para aquele que todas as coisas estão estão patentes e desnudas. Estamos sempre nus, nossos atos de justiça são trapos imundos para Ele, e não podemos esquecer disso!
Deus forja a face do touro no homem para ele se tornar um homem raro, um homem de valor, que tenha profundidade e peso, e que carregue o jugo manso e humilde, enfim como a Bíblia diz do homem raro como o ouro de Ofir.
"Farei que o homem seja mais precioso do que o ouro puro, e mais raro do que o ouro fino de Ofir." Isaías 13:12
Deus forja as faces da adoração no homem, a águia, o leão e o touro, para que todas incidam em uma face, a do homem!
E como ouro esse homem aí sim poderá contemplar o Senhor; o Senhor do ouro então faz resplandecer Seu rosto sobre a Sua criação! E só, tão somente só, após isso Ele pode derreter o coração desse homem e transformá-lo em um utensílio da casa do Senhor. Utensílio de ouro, prata ou bronze, só quem faz veios pela terra, cava fundo a sua mina escura, ou mergulha em profundidade alcança tesouros preciosos. Os covardes não alcançam a profundidade que somente alguém que é raro pode alcançar! Quem tem ouvidos ouça...

sexta-feira, 22 de julho de 2016

"Provai, e vede que o Senhor é bom; bem-aventurado o homem que nele confia." Salmos 34:8






        Algo aconteceu esses dias muito interessante e não posso deixar de contar, sonhos devemos contar como sonhos, visões como visões e experiências como experiências.
Estava fazendo minhas orações por uma garota que vou chamá-la de Estrela, precisava de uma luz, uma direção sobre como lidar com o problema que ela estava enfrentando, sua avó me pediu ajuda e me senti responsável por ela, uma vez que ela tem procurado ajuda com tratamentos com psicólogas, médicos, e até então não tiveram resultado. 
Mas percebemos que o problema de Estrela era sim na alma, ou seja, nas suas emoções ou ser psicológico; mas estava claro que tinha um pano de fundo espiritual. Esse texto não tem intenção nenhuma de ser um manual de instrução para as pessoas lidarem com casos parecidos, mas tem intenção sim de, dar testemunho para que todos, ao lerem, percebam que Deus é real, que Ele é o Criador, e que ainda está perto daqueles que o buscam.
  "Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto." Isaías 55:6
Estive então fazendo minhas orações e há dois dias mais ou menos fui despertada de madrugada com um sonho no mínimo desconfortável, eu via no sonho uma pessoa que tomava uma certa atitude de rebeldia, sabendo que estava fazendo algo que ia desagradar muito, mas que mesmo sabendo que ia ferir as pessoas á sua volta, insistia em fazê-lo. No sonho a figura era conhecida, e o que me deixava impressionada era que eu tinha certeza que aquela pessoa sabia do seu erro, mas teimava em ir em frente. Nesse momento o Espírito Santo me trouxe á memória um versículo em provérbios:
"O avisado vê o mal e esconde-se; mas os simples passam e sofrem a pena."
Provérbios 27:12-12
Nesse momento em que eu me encontrava no sonho impressionada e quase impactada, o Espírito Santo me disse:
Esse é o espírito de rebeldia!
Continuei então meditando com Deus, nas minhas conversas, orações, em favor da garota, e depois de dois dias novamente o Espírito Santo me despertou e me ligou em espírito,como um canal, eu podia sentir o fogo do Espírito Santo gravando esse entendimento no meu coração! Vamos então ao relato da vida de Estrela, vamos entrar em conceitos da psicanálise para ilustrarmos melhor essa revelação.
Ao nascer e se relacionar com a mãe, a criança em suas percepções emocionais só têm a mãe, seu alimento, e suas infinitas lutas com seu aparelho digestivo, tanto é uma luta que a criança passa pela fase de adaptação com o alimento, nesse caso o leite, seus exercícios para melhorarem os movimentos espasmódicos do intestino. Para a psicanálise esse momento na emoção do bebê é muito importante, porque por mais incrível que pareça, essa fase a criança oferece então para aquela que simboliza o amor e cuidado, oferece a única coisa que ela consegue produzir, ou seja, a criança oferece para a mãe o seu trabalho, o seu esforço com seu intestino. Vamos chamar aqui de "o presentinho da mamãe".
A psicanálise então defende que a mãe deve ter  muito cuidado com a criança, pois ao comentar algo negativo e desagradável sobre as fezes do bebê, isso pode gerar problemas na digestão, e intestino mais á frente na criança. Essa sensação do bebê é um sentimento primitivo é claro, mas que fica de alguma maneira registrada em suas emoções até sua fase adulta. 
Ao passar do tempo então mesmo em seus sentimentos mais primitivos, e inconscientes a criança percebe que o momento de colocar seu intestino para funcionar é um momento especial para sua mãe, ou para o seu cuidador, afinal é o momento do " presentinho da mamãe".
Se porventura a criança com o passar do tempo começa a ter conflitos com sua mãe, ela pode apresentar dificuldades em produzir o "presentinho da mamãe".
A criança começa a sentir que sua mãe, ou a figura do cuidador não merece a dádiva, e começa a ter dificuldade com seu intestino e seu funcionamento. Ela começa a reter tudo, ou por medo, ou por insegurança, ou por achar que a mãe não merece seu empenho. 
A psicanálise fala também das fases em que a criança passa e que por uma experiência ou outra pode ficar fixada, como por exemplo: fase oral, fase anal, fase genital. (Mas não vamos aprofundar nesse assunto, porque iríamos precisar de mais tempo.)
Para os mais céticos, e que pensam que o Espírito Santo não iria usar a ciência para explicar algo espiritual eu digo que Jesus se apresenta como o bálsamo de Gileade, Ele se apresenta como o médico que cura, que liberta, e digo que Ele deu dons aos homens com a ciência, mas sabemos que a ciência não é o fim em si mesmo,  pois somente Ele é o início, meio e fim. A ciência não consegue explicar tudo, a ciência é apenas um instrumento, porque somente Ele é absoluto. O Alfa e o ômega, toda criação se deu início por Ele e por meio Dele, e que todas as coisas estão descobertas e patentes para Ele, e que somente Ele pode revelar o profundo e o escondido. 
Voltando á experiência o Espírito Santo então ao me ligar num canal em fogo, de madrugada me revelou que Estrela estava passando esse problema em suas emoções, o pano de fundo era espiritual, resultado de um espírito de rebeldia, e que esse espírito de rebeldia no plano espiritual formava cadeias emocionais. No sentido figurado podemos explicar como se fosse um corredor cheio de grades, cada grade fechada por cadeados, ou seja, as emoções mal resolvidas criam cadeias, fechadas a cadeados, e que quanto mais profundos vão sendo os problemas emocionais,quanto mais mal resolvidos, mais profundas vãos sendo essas cadeias. E quanto mais profundas vão sendo as cadeias, menos luz, e liberdade. 
É necessário um processo de libertação, de cura, com o Espírito de Deus, que é Luz, para que esse processo então venha a ser "desencadeado", ou seja, o Espírito Santo entra na consciência, traz á luz da consciência, a pessoa se torna ciente da cadeia onde se encontra, e qual é a profundidade, e então se esforça para "desencadear esse processo emocional", dependendo da profundidade, pode ser um processo muito dolorido, pois nesse momento o homem ou mulher, jovem, se depara com seus erros, suas falhas e com o desafio de ter que voltar atrás e pedir perdão. Ou às vezes a pessoa tem que mexer e remexer em feridas que ela escondeu bem guardadinho para ninguém lembrar mais, mas que volta e meio vem o fantasma na memória para assombrar.
Nem sempre é apenas  arrepender de suas maldades conscientes ou inconscientes, às vezes é apenas lembrar daquela dor que insistimos em esquecer, e perdoar quem provocou a dor, o que se torna mais difícil em muitos casos!
Voltando á História de Estrela, o Espírito Santo então revelou que no caso específico dela ela estava vivendo um processo em que o espírito de rebeldia fazia o pano de fundo, fazendo com que ela fosse obstinada em insistir no erro, consequentemente, isso gera um processo de provocar a dor no outro, mas ao mesmo tempo sofrer, ou seja, um processo de provocar a dor no outro, e ao mesmo tempo se castigar,ou  "autoflagelar". Seu inconsciente sabia que ela estava sendo rebelde, desobediente, mas no seu conflito com sua mãe (em outros casos pode ser com o pai), ela queria fazer a mãe sofrer, mas ao mesmo tempo se sentia no inconsciente como a " mázinha" da história. Por isso o seu "autoflagelo". 
Em alguns casos isso faz a criança fixar na fase anal, um misto de prazer e dor, um distúrbio no intestino, em casos mais graves pode provocar a bulimia, anorexia, que também é um distúrbio relacionado com alimento/ digestão/ e sua eliminação;  e ainda em casos mais profundos traços de sadomasoquismo.
A profundidade de cada dificuldade emocional de cada cadeia dessas citada acima, depende da profundidade das emoções mal resolvidas, e de processos que não foram desencadeados.
No caso da Estrela ainda está recente, é preciso ajudá-la a desencadear essas emoções, para que ela não fique presa em nenhuma dessas fases e consequentemente não se aprofunde, creio que o Espírito Santo está no controle da vida dela, visto que revelou suas emoções. E a partir daí se tiver uma ajuda saudável, ela se liberta desse lugar que ela está, ou seja, se liberta da rebeldia, e da culpa. 
Assim também Ele pode fazer com aqueles que o buscarem, de todo o coração, Ele não faz acepção de pessoas, e é bom!

E termino essa história, lembrando de três episódios para ilustrar essa experiência que tem como pano de fundo o mundo espiritual, mas que afeta o ser psicológico, a alma de uma garota. Quando os discípulos pediram um sinal a Jesus sobre as coisas que Ele revelava a respeito de sua morte, Ele respondeu:
"Uma geração má e adúltera pede um sinal, e nenhum sinal lhe será dado, senão o sinal do profeta Jonas. E, deixando-os, retirou-se." Mateus 16:4
Jesus com essa resposta revelava que Ele não daria sinal, mas que assim como Jonas teve três dias no ventre de uma baleia, Ele estaria três dias no coração da terra, no sheol, e depois disso ressuscitaria. Jesus com isso revelou que primeiro vem a batalha com o mundo das trevas, depois vem a Luz e revelação do Pai das luzes. E um terceiro que teve esse tipo de experiência foi Pedro quando submergiu nas águas do mar, um pescador experimentado no mar, teve medo e afundou em sua falta de fé.
 Assim posso dizer com propriedade que a quem muito é dado, muito é cobrado, e que para obtermos ás vezes revelações profundas de Deus, passamos por momentos em que enfrentamos batalhas, mas depois vem o galardão, o prêmio da nossa soberana vocação. Tão somente creia que Ele faz!Te amo Jesus! 

* Leia também o texto: http://utenscasadosenhor.blogspot.pt/2015/07/e-ele-disse-vem-e-pedro-descendo-do.html

terça-feira, 28 de junho de 2016

"... mas então conhecerei como também sou conhecido." 1 Coríntios 13:12 b



Um dos maiores anseios do ser humano é se conhecer, e depois disso se auto afirmar. Outro anseio é chamado angústia de morte, "o que será que existe no outro mundo?"; Não  necessariamente o medo da morte, embora muitos confessem ter medo da morte, mas a curiosidade com outras dimensões espirituais, ou se elas existem. Conhecer os mistérios entre a vida e a morte. 

O fato é que o ser humano no mínimo sente atração pela possibilidade de se conhecer melhor, na Bíblia podemos confirmar algumas passagens que comprovem que o homem muitas vezes não se conhece, mas que na aproximação com Deus, ele passa a sentir no mínimo um conforto de saber de maneira certeira a quantas anda seu estado emocional. 
Jó quando o Senhor lhe falava em um redemoinho, após ter passado por uma prova que nem ele mesmo sabia que seria capaz de superar, quando esteve envolto em suas lamentações por tudo que lhe sobreviera lhe respondeu:
"Quem é este, que sem conhecimento encobre o conselho? Por isso relatei o que não entendia; coisas que para mim eram inescrutáveis, e que eu não entendia." Jó 42:3
Vendo então Jó que não poderia com tamanha grandeza disse:
- Antes eu te conhecia de ouvir falar, mas agora os meus olhos te vêem, ou seja, Jó com todo sofrimento e dor, passou a conhecer a Deus, e consequentemente passou a se conhecer melhor, com segurança.

Ezequiel diante de uma experiência tremenda com o Espírito de Deus, onde Ele pergunta ao profeta diante de um monte de ossos secos se aqueles ossos poderiam reviver, o profeta responde: - Tu o sabes,Senhor! Nesse momento nem Ezequiel sabia que tinha fé para fazer ossos secos se transformarem em um exército de homens vivos. 
Nem Jó e nem Ezequiel sabiam da capacidade que o Espírito Santo lhes dariam para enfrentarem determinadas circunstâncias na vida.

Assim como Pedro também não sabia da capacidade que teria de andar sobre as águas, tanto que teve medo; e também não conhecia da capacidade que tinha de amar Jesus dada a resposta dele quando este lhe perguntou pela terceira vez: 
- Pedro tu me amas? E Pedro disse: Tu o sabes.

O espírito do homem é a lâmpada, se somos luz vivemos conscientes das nossas ações, emoções e isso nos cura, nos restaura após os momentos de crises, turbulências. Mas se andamos em trevas, que terríveis trevas são, pois nosso inconsciente esconde de nós mesmos o que recusamos ser, as criaturas noturnas das trevas que não agradam a ninguém ficam ali escondidas.

Numa crise entre duas pessoas, num conflito, o mais difícil é querer reconhecer os erros, quais as responsabilidades de cada um, conhecer afinal onde está a verdade. Então podemos afirmar que andar na verdade da luz das nossas ações não é nada fácil; pedir perdão, reconhecer onde erramos, consertar, fazer justiça, isso não é para covardes. Mas para pessoas que apesar de toda dor são fortes para reverem seus conceitos e mudarem o caráter.É tudo ou nada! Muitas vezes esse caráter é como uma carapaça de tartaruga, onde nos escondemos, mas é preciso força e coragem para se quebrantar.

É mister nos colocarmos no altar diante de Deus, rasgar nosso ser, e falar com intrepidez e ousadia: - Eu me rasgo diante do teu altar, mas me mostra onde está a verdade e a justiça. E muitas vezes o Espírito Santo nos mostra que precisamos pedir perdão a alguém que no mínimo queríamos distância. Outras tantas Ele mostra que estamos justificados por Ele. Isso é andar na luz das nossas emoções, muitas vezes nosso lado obscuro quer matar, mas nosso lado luz precisa se rasgar, precisa perdoar, e reconhecer que também erramos. 
É incrível, mas Ele faz isso, jamais deixa alguém confundido, se é mesmo que esse alguém se achegou com sinceridade de coração, para conhecer a verdade, onde estaria a equidade, o que é justo. E não querendo bajulações como é próprio dos homens cujos braços são mortais, e não podem livrar nossa alma do inferno da culpa.E que muitas vezes essa culpa vai martelar no nosso inconsciente, até conseguir nos adoecer e até mesmo matar.

Nos acheguemos a Ele que é o autor e consumador da nossa fé, nos acheguemos quebrantados e livres de nossas carapaças, nos acheguemos de coração puro e sincero para conhecermos a verdade. E só assim, tão somente assim, vamos nos conhecer a nós mesmos, só assim vamos a partir de nos conhecermos melhor nos auto afirmar, e só assim vamos ter coragem para conhecer os mistérios entre céus e terra, vida e morte.                                                                 
E o que passar disso, são histórias infantis, dessas contadas para crianças adormecerem, ficarem anestesiadas em suas fantasias; mas a partir do momento que não aceitarmos mais historinhas infantis, podemos então entrar na profundidade tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus. Por isso não te assombres, nem te espantes, tão somente seja forte e corajoso, Ele é contigo!

quinta-feira, 16 de julho de 2015

"E ele disse: Vem. E Pedro, descendo do barco, andou sobre as águas..." Mateus 14:29



Pedro quando viu que Jesus dizia ser Ele, e não um fantasma, naquela noite de vento muito forte fez prova de Jesus dizendo que se fosse Ele  mesmo, que o fizesse ter com Ele, e disse Jesus: Vem! E Pedro andou sobre as águas!
Naquele momento o vem de Jesus não foi um vem para Pedro ser humilhado, não foi um vem para morrer no tumulto das ondas e vagas, e muito menos foi um vem, para acusar a Pedro do quão ele é fraco, pobre e nu.
Mas o vem de Jesus é o mesmo vem do noivo com sua noiva (igreja), esse vem que libera uma palavra profética sobre a vida daquele que ama a Jesus, uma palavra que libera uma autorização para andar sobre as águas; e se porventura a carne, e a pequena fé insistir em nos afogar, esse vem, libera um convite para mergulhar em águas mais profundas, que nos ensina que sem Ele nada podemos fazer.
E nos faz deparar com o espelho das águas do mais profundo íntimo, ver que somos pó, e que é mister que nos diminuamos, e que o Senhor das muitas águas tome o controle! Esse espelho fez com que Pedro contemplasse suas cavernas tenebrosas, suas falhas, e ao se deparar com seus defeitos, e consequentemente bater o arrependimento, ele pôde contemplar ao mesmo tempo o socorro bem presente. Esse momento na vida de Pedro embora tenha sido um momento nada fácil, pois ele teria que se deparar com sua condição humana, frágil e que nada pode; ao mesmo tempo quanto mais Pedro se diminuiu de sua condição de humano, e precisou clamar por Jesus, ele se encheu do Espírito de vida! E com esse Espírito de vida, Pedro teve condições de visitar a morada do Leviatã – monstro marinho, o responsável por tumultuar, com ondas bravias e espumejantes as nossas tempestades da vida, nossos momentos de desesperos, “afogamento” em problemas, esse leviatã que faz com que inquietos corações pensem que aquela dificuldade é maior do que sua própria existência, que não há solução que possa pôr fim no sufoco.
Pedro ali ao afundar nas muitas águas pôde conhecer que quando somos fracos, aí somos fortes. Pôde conhecer que não há impossíveis para Jesus, que nos faz andar sobre as águas, nos faz atravessar o mar por pés secos e nos mostra que embora o momento pareça um caos, nos toma pela mão, e nos coloca de pé, coloca nossos pés no barco e ainda acalma o vento!     E mais tarde essa experiência de Pedro o permitiu também que pudesse ver o outro com um olhar de amor, sabendo que as misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos.
E assim diz o Espírito: Coloca-te de pé, cinja seus lombos com força e falarei contigo!

 "...estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária;" Lucas 10:41