quinta-feira, 20 de outubro de 2011

"Entre o pórtico e o altar..." Joel 2 17


Esses dias o Senhor falou-me nesse versículo:
“E, demais disto, filho meu, atenta: não há limite para fazer livros, e o muito estudar é enfado da carne”.      Eclesiastes 12:12
Ele completou: - muitas são as pessoas que escrevem livros, mas faz toda a diferença aqueles que escrevem e falam do que ouvem da parte do Senhor, aqueles que querem levar um pouco das suas experiências para outros, e com isso buscam a comunhão, a edificação e a troca de experiências com outros homens e mulheres, sedentos e insaciáveis adoradores de Deus.
Aqueles que buscam através da sua intimidade, da sua capacidade de ouvi-lO, caminhar com outros, levar o jugo com o irmão e conhecer e prosseguir em aprofundar em conhecer o Senhor.
Pessoas que vivem em comunhão com outros podem muitas vezes agir como Jacó ao vir os pastores se aproximando do poço das águas e não vendo esses pastores dar água aos seus animais questionou o porque daquilo.
“E ele disse: Eis que ainda é pleno dia, não é tempo de ajuntar o gado; dai de beber às ovelhas, e ide apascentá-las.
E disseram: Não podemos, até que todos os rebanhos se ajuntem, e removam a pedra de sobre a boca do poço, para que demos de beber às ovelhas”.
                                  Gênesis 29:7-8

Então podemos ver que devemos ajuntar as ovelhas,os irmãos, na congregação,remover a pedra da boca do poço, a pedra da descrença, da falta de fé, do desânimo, cansaço, e assim dar de beber às ovelhas.
Quantos de nós estamos como que impedidos de prosseguir, porque enfrentamos pedras nos caminhos, porque temos o coração como que pedras, consequências de lutas, tribulações até mesmo dentro das igrejas, ataques como que apedrejamentos. Em toda a bíblia podemos ver vários episódios em que para ver a glória de Deus se manifestando, tiveram que remover pedras.
 Jesus quando ressuscitou Lázaro deu ordens que tirassem a pedra, e na ressureição do próprio Deus (Jesus) a pedra do sepulcro rolou.
Nesse episódio da ressureição de Lázaro vimos que o sobrenatural Ele operou, dando a vida de volta á Lázaro, mas no que dependeu do mover natural e no mundo físico ele deu ordens para que removessem a pedra.
“Disse Jesus: Tirai a pedra...”        João 11:39

Todos querem ver Deus agindo no sobrenatural, fazendo sinais e maravilhas, nos acordando de madrugada para nos selar instrução; mas o que às vezes não sabemos é que tudo isso depende do primeiro passo, depende da nossa disposição em buscar ao Senhor, em nos entregar, tirar as pedras do caminho e prosseguir. Nessa caminhada precisamos demonstrar boa vontade para com o Senhor, disposição para servi-lo e sempre nos colocar diante dEle aos pés. Tirar as pedras do caminho pode ser algo ou alguém que te impede de se juntar ao amado e desejado de todas as nações.
Assim como no velho testamento cavavam poços para beber água e os inimigos do povo de Israel chegavam e entulhavam os poços, enchiam-nos de pedras, fazendo com isso que o fluir das águas fosse impedido, fazendo com que essas águas tornassem turvas e deixassem o aspecto cristalino, puro; ferindo assim as nascentes, os minadouros. Muitos estão como esses poços, estão entulhados de pedras, com o coração duro, ferido. Mas há um mover nesses últimos dias em que o Senhor tem soprado aos ouvidos dos que O tem buscado, e tem dito: - tirai a pedra...
Sabemos que dependemos desse fluir das águas pra matarmos a sede, para darmos frutos nos ramos enxertados na Videira, precisamos das águas para dessedentar as ovelhas, para regar a terra seca e para fluírem as nascentes dos poços e das correntezas e rios.
E só há um caminho, para que saia a ordem : - tirai a pedra. Uma só maneira, algo grandioso, algo que muda circunstâncias, que move o coração do Pai, essa maneira é inevitável, Ele não resiste e estremece em suas entranhas.
“Tendo, pois, Maria chegado aonde Jesus estava, e vendo-o, lançou-se aos seus pés, dizendo-lhe: Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido.
Jesus pois, quando a viu chorar, e também chorando os judeus que com ela vinham, moveu-se muito em espírito, e perturbou-se.
E disse: Onde o pusestes? Disseram-lhe: Senhor, vem, e vê. Jesus chorou  
                                     João 11:32-35
Esta é a mesma mulher em que ungiu os pés de Jesus:
“Fizeram-lhe, pois, ali uma ceia, e Marta servia, e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele.
Então Maria, tomando um arrátel de ungüento de nardo puro, de muito preço, ungiu os pés de Jesus, e enxugou-lhe os pés com os seus cabelos; e encheu-se a casa do cheiro do ungüento.  João 12:3
E encheu-se a casa do cheiro do unguento, o segredo é esse, quando nos prostamos nos pés do Senhor, ungimos seus pés com perfumes e os enxugamos com nossos cabelos, fazemos com isso que todos percebam o gesto de adoração estravagante, todos percebem o cheiro do aroma da adoração de um coração contrito, rasgado e desesperado pelo Senhor. Esse gesto pra muitos pode parecer humilhante demais, humilde demais, mas para o Senhor é o princípio de um relacionamento íntimo e precioso. Relacionamento íntimo, mas não como o homem entende como íntimo, da carne, mas do Espírito, relacionamento em que há um amor incondicional, uma entrega total e sem interesse. Um amor forte como a morte, um amor que nos mostra que Ele não desistiu da cruz, que o fez subir, subir e vencer a morte, será que tem algum amor natural que fosse capaz disso? Não me responda, apenas reflita. Essa é a adoração em que libera a palavra a nosso respeito, essa é a adoração que move o Senhor de íntima compaixão, que enche o íntimo de sentimentos entranháveis de misericórdia. Que libera a ordem: - tirai a pedra. Que libera a ação de desentulhar poços, pedregulhos, águas turvas.
Essa adoração enfim nos capacita, para irmos adiante, para prosseguirmos, para aprofundarmos o relacionamento e nos treinar para também nos dispor á morte, como Ele próprio se entregou por amor, também somos capacitados para nos entregar e matar nossa carne, nossas vontades e entregar nossos sonhos diante do altar de sacrifício.  Esse mover de intimidade é nos dado como no tempo em que os sacerdotes iam servir ao Senhor no templo, quando eles entravam para sacrificarem ao Senhor, entravam no templo, entre o pórtico e o altar, altar de sacrifícios, lugar de morte, morte do ego, morte dos desejos individuais, dos sonhos egocêntricos. E nos dá vida, visões e sonhos de Deus. Entre o pórtico e o altar é o lugar em que há restauração, o lugar que nos faz sentir como Ele sente, que nos faz chorar como Ele chora, nos faz erguer nossa voz como trombeta, a plenos pulmões, clamando por vida, por filhos espirituais e pelo mover da Glória do Eterno.

“ Chorem os sacerdotes, ministros do SENHOR, entre o pórtico e o altar, e digam: Poupa a teu povo, ó SENHOR, e não entregues a tua herança ao opróbrio, para que os gentios o dominem; porque diriam entre os povos: Onde está o seu Deus?   Joel 2:17
“E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões. E também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito. E mostrarei prodígios no céu, e na terra, sangue e fogo, e colunas de fumaça. O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR. E há de ser que todo aquele que invocar o nome do SENHOR será salvo; porque no monte Sião e em Jerusalém haverá livramento, assim como disse o SENHOR, e entre os sobreviventes, aqueles que o SENHOR chamar”.
                                                                   Joel 2:28-32
É exatamente nesse lugar, entre o pórtico e o altar que alcançamos essa estatura de adorador, que conseguimos clamar, que conseguimos fazer com que Ele libere a palavra do derramamento do teu Espírito sobre toda carne, essa promessa não é somente a carne que se encontra nas igrejas, nos apriscos, mas TODA carne, ou seja, todos experimentarão a Presença da glória.
Temos que nos colocar debaixo do Sol, porque assim sabemos que há um propósito para todas as coisas debaixo do sol, o Sol da justiça.
Como no tempo da igreja primitiva em que a sombra de Pedro curava os enfermos, esses dias o Senhor me revelou esse mistério, esse enigma. Pedro na verdade estava debaixo do Sol da justiça, quando estamos sob o sol, nosso corpo projeta sombra dependendo da posição da luz e do nosso corpo.
Essa então é a promessa, que faríamos obras ainda maiores que Jesus, esse enigma nos explica então que as obras maiores acontecerão quando posicionarmos nosso corpo sob o Sol da justiça ( Jesus), posicionarmos nossa vida diante dEle, vivermos na justiça do Senhor, sob sua Luz, na posição certa em que essa Luz projete sobre nós toda sua intensidade, provocando sombra dos nossos corpos que curam. Só assim podemos então adorar e receber com essa adoração a palavra: - tirai a pedra, desentulhe os poços, fluam as águas, desça a chuva, exale o aroma do ungüento, morra a carne, restaure o Espírito e projete a sombra, cure e liberte.
“Roni, roni, bat zion. Hariu yisrael
Simchi v'altsi b'chol lev
Bat yerushalayi”
Canta alegremente, ó filha de Sião; rejubila, ó Israel; regozija-te, e exulta de todo o coração, ó filha de Jerusalém.”  Sofonias 3:14

Nenhum comentário:

Postar um comentário